clube de jazz  
 
agenda notícias store
 
o jazz jazz brasil ao vivo galeria
 
 
colunas
perfil
eventos
lançamentos
entrevistas
acorde final
 

Scofield e Lovano juntos de novo

Apesar de não tocarem tanto quanto gostariam John Scofield (guitarra) e Joe Lovano (sax-tenor) formam uma dupla em alta sintonia criativa no território do jazz. O disco que o Mestre LOC disseca a obra desses gênios é o "Past Present".

13/11/2015 - Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil, 17/10/2015

O guitarrista John Scofield e o saxofonista tenor Joe Lovano, dois eminentes sessentões no apogeu de suas carreiras, não se reuniam para gravar em quarteto desde 2002, quando registraram para o selo Blue Note o antológico álbum ScoLoHoFo, na companhia dos também ilustres Dave Holland (baixo) e Al Foster (bateria). Entre 1989 e 1992, "Sco" e Lovano já tinham enriquecido suas discografias com três álbuns igualmente marcantes para a mesma etiqueta: Time on my hands (Charlie Haden, baixo; Jack DeJohnette, bateria); Meant to be (Marc Johnson, baixo; Bill Stewart, bateria); What we do (Dennis Irwin, baixo; Bill Stewart).

Scofield e Lovano reaparecem agora em quarteto, para gáudio dos jazzófilos mais antenados, no CD Past Present, que acaba de ser lançado pela Impulse, com a colaboração do fiel baterista Bill Stewart e do baixista Larry Grenadier - que fez fama (sem jamais deitar na cama) como sideman do vituose do piano Brad Mehldau.

As nove faixas do disco são assinadas pelo guitarrista, o que acentua a liderança de Scofield - sem dúvida nenhuma um dos quatro "grão-mestres" das seis cordas em atividade no planeta jazz (os outros são Bill Frisell, Pat Metheny e Pat Martino). Mas o quarteto de Past Present é interativo e cinético, em face do peso das personalidades do grande Lovano, de Grenadier e de Stewart no processo criativo como um todo.

Will Layman, do site Popmatters, ao comentar esta sessão, gravada em estúdio em dois dias de março deste ano, ressalta que "Sco" não está "tocando para as massas, nem lhes virando as costas". E acrescenta: "Como sempre, ele permanece um expoente natural do jazz como algo ao mesmo tempo mais acessível e mais desafiador. Em poucas palavras, o ato de equilíbrio da arte".

A faixa-título Past Present reflete bem a mente e o coração dessa reunião na qual os quatro ases se alimentam das raízes bluesy/soul do jazz e usam a linguagem moderna (o bop) para fazer música contemporânea, referindo-se este adjetivo a qualquer tipo de expressão artística que resiste ao teste do tempo.

A vertente mais funky do jazz, que remete a Horace Silver e a Jimmy Smith, é "atualizada" mesmo em peças de inspiração melancólica, como Mr. Puffy (5m), que Scofield dedicou ao seu filho Evan, que morreu aos 26 anos, em 2013, vítima de câncer. É o mesmo ambiente de Slinky (7m), Museum (6m30) e Get Proud (5m20).

A guitarra imprevisível de Scofield e o saxofone vaporoso de Joe Lovano tornam o ouvinte refém de suas "viagens", sobretudo na faixa-título e em Mr. Puffy, mas também na boppish e percussiva Chap Dance (5m20); na melodiosa Hangover (6m30), em tempo médio; na dançante Enjoy the Future (5m20), cujo tema remete aos tempos da bossa nova.


YOUTUBE

The John Scofield & Joe Lovano Quartet

John Scofield & Joe Lovano Quartet Jazz & The City 2015

Topo da página | Envie a um amigo | Voltar para Colunas

 
copyright clube de jazz 2004  
cadastre-se   termos de uso   contato   sobre nós