clube de jazz  
 
agenda notícias store
 
o jazz jazz brasil ao vivo galeria
 
 
colunas
perfil
eventos
lançamentos
entrevistas
acorde final
 

Kuai Music: um lugar para a nova geração do jazz argentino

Com mais de 25 álbuns lançados e propostas inovadoras a nível local para a produção e comercialização de discos, este selo foi uma resposta à necessidade de tornar visível o trabalho de músicos entre 24 e 35 anos.

Juan Bayon, Mauricio Dawid, Damien Poots e Fran Cossavella.

11/09/2015 - Omar Gimenez, 11 de setembro de 2015, especial para o Clube de Jazz.

Intro

Luis Pazos, artista conceitual e pioneiro da arte da intervenção pública na Argentina, uma vez disse, referindo-se a feira ArteBA (que se reúne anualmente em Buenos Aires os destaques de arte contemporânea) que uma das contribuições mais valiosas para esse encontro é o de desenvolver a cada ano um catálogo que, ao longo do tempo, torna-se a imagem de todo um momento expressivo. Algo nada desprezível em um país onde a atividade artística vive ameaçada pelo esquecimento. À luz desta ideia brilha a iniciativa de um grupo de jovens músicos do jazz local que lançaram mais de 25 álbuns pelo selo que criaram há dois anos.

Proposta

Kuai é uma proposta que já transcendeu as fronteiras argentinas e encontra o seu público no local, mas também em países como o Brasil, os Estados Unidos e o Japão. Em suas edições de qualidade artística notável, que refletem a realidade da nova geração do jazz de Buenos Aires, Kuai acrescenta formas inovadoras de marketing para o gênero a nível local. E a criação de um espaço que continua a se expandir: em torno do selo, criam-se encontros que trazem novos nomes do jazz local para tocar, compor e gerar novas iniciativas.

Criadores

Os contrabaixistas Mauricio Dawid e Juan Manuel Bayon mais o guitarrista Damien Poots e o baterista Francisco Cossavella, que estão à frente do projeto, disseram ao Clube de Jazz disseram que ele surgiu da necessidade, pois na Argentina existem apenas alguns selos que estão interessadas em lançar o jazz e que as gravadoras se importam muito pouco em trabalhar esse segmento musical. A cada ano entram no mercado mais músicos no circuito portenho, e nas palavras dos condutores de Kuai, hoje há muitos mais músicos produzindo e por outro lado, menos selos discográficos para absorver essa demanda.

Nome

Ele explicam que a Kuai Music (o nome refere-se a um hexagrama do I Ching) nasceu de uma necessidade de dar visibilidade ao trabalho de jovens músicos, preenchendo um espaço que era vago. Os resultados obtidos até agora, para os organizadores, excedeu em muito as suas expectativas, conforme eles mesmos disseram. No entanto, eles não perdem a perspectiva de vista.

Características

Quais são as características que estão presentes nos CDs presentes no selo?
Dawid, Bayon e Poots listam as principais: composições originais (pode ter 'standards', mas não tocados na maneira tradicional); métricas irregulares; um estilo mais aberto, mais "free" e longas faixas.

A maioria dos álbuns são instrumentais (há exceções, como El Sueño de los sauces de Jasmín Prodan) e a instrumentação, apesar de alguns instrumentos elétricos que são usados, é principalmente tradicional (trompetes, saxofones, guitarras).

Outra característica comum: muitos dos participantes desse segmento da cena portenha que registram seus trabalhos na Kuai Music são formados na cadeira de jazz do Conservatório Superior de Música Manuel de Falla, uma referência no campo da educação musical em Buenos Aires.

Os discos da Kuai são, segundo Bayon, o reflexo de uma parte da cena jazz atual de Buenos Aires, que passa por palcos locais como o Thelonious e o Virasoro em Palermo ou La Playita, em Chacarita . E salienta que um dos fatores que define parte desse cenário é o geracional: a maioria dos músicos envolvidos com o selo tem entre 24 a 35 anos.

Mercado

À medida que a Kuai Music avança - com uma distribuição mecânica da sua produção através de recitais e na página Facebook-Kuai - estão descobrindo as características do seu público, que é definido como pessoas que constantemente seguem o que acontece na cena do jazz em Buenos Aires, geralmente de nossa própria geração, embora a eles se juntem outros de outras gerações; e assim está sendo definido esse público à medida que saem os discos.

Futuro

Os gestores da Kuai pensam em continuar editando jovens músicos e descreem da possibilidade de que a iniciativa deles se tornem um selo tradicional, pois nesse momento, a indústria evolui em outra direção.

Mais do que um selo, a Kuai é uma forma tradicional de cooperação e de gestão que acaba por beneficiar a comunidade dos músicos. Hoje não são dadas as coisas para que sejam diferentes, diz Damien Poots.

Juan Bayon: eu não sei se estamos dispostos a colocar o que temos de colocar para que ele se converta num trabalho. Eu não sei se essa é uma realidade possível.

A verdade é que os discos da Kuai estão voltados para o circuito jovem do jazz em Buenos Aires e veio para ficar. Enquanto isso, discos estão sendo gravados, deixando o futuro desse movimento que respira e cresce, com identidade própria em um punhado de locais, alguns dos quais quase secretos. Nada insignificante em um país onde, retornando a Luis Pazos, uma das características que rodeia a atividade artística é a tendência ao esquecimento.

Internet

Kuai Music - Site

Venda de CDs

Kuai - Youtube

Topo da página | Envie a um amigo | Voltar para Argentina

 
copyright clube de jazz 2004  
cadastre-se   termos de uso   contato   sobre nós